MP decide afastar promotor acusado de estupro na BA

Uma comissão especial do Ministério Público (MP) da Bahia decidiu nesta segunda-feira, 17, propor a abertura de uma ação civil de decretação de perda do cargo contra o promotor de Justiça Marcos Antônio da Silva Gonzaga, de 44 anos. Ele é acusado de estuprar e ameaçar de morte uma adolescente de 16 anos residente em Itaberaba, a 266 quilômetros de Salvador, em 2002, quando era o promotor titular da comarca daquele município. A decisão do Órgão Especial do Colégio de Procuradores de Justiça foi por unanimidade. Afastado do cargo no mesmo ano, o promotor foi julgado pelo Tribunal de Justiça (TJ) da Bahia em 26 de maio do ano passado e condenado a nove anos e meio de prisão. Ele recorreu da decisão, mas teve a apelação indeferida pelo TJ, que decretou sua prisão em julho. Desde então, o ele está foragido. Apesar de afastado, Gonzaga tem recebido um terço do salário de promotor no Estado, o que resulta em uma remuneração de cerca de R$ 4 mil mensais.

TIAGO DÉCIMO, Agencia Estado

17 Setembro 2007 | 18h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.