MP denuncia 10 por esquema de corrupção no Rio de Janeiro

No grupo estão funcionários e ex-prestadores de serviço do Detran, despachantes e procurador

estadão.com.br,

03 Abril 2012 | 20h34

SÃO PAULO - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou dez pessoas ao Juízo da Vara Criminal de Itaboraí por suspeita de corrupção no Detran. Eles são acusados de formação de quadrilha, corrupção passiva, inserção de dados falsos em sistema de informações, falsidade ideológica, advocacia administrativa e corrupção ativa qualificada. Entre os denunciados estão três funcionários do Detran, dois despachantes, um procurador e dois ex-prestadores de serviço do Detran da cidade.

Cerca de 30 agentes da Corregedoria do Detran e do MP participaram da Operação Deslize, neste terça-feira, 3, para cumprir 13 mandados de busca e apreensão, nos municípios de Magé, Duque de Caxias, Itaboraí, São Gonçalo, Niterói, Cachoeiras de Macacu e Rio de Janeiro.

A investigação sobre a atuação da quadrilha começou após denúncias relatando esquema que consistia na aprovação de veículos (caminhões, ônibus, táxis e vans), sem condições mínimas, na vistoria regular obrigatória, mediante pagamento em dinheiro a funcionários do posto de vistoria de Itaboraí.

De acordo com a denúncia do MP-RJ, dentre as irregularidades estava a utilização do resultado do teste de aferição de gases poluentes de um veículo aprovado em laudo de outro que não seria aprovado.

A quadrilha contava, ainda, com a participação de um funcionário que atuava na Coordenadoria do Renavam, localizada no prédio sede do Detran, no centro do Rio. O funcionário podia fazer alterações cadastrais de veículos automotores.

Mais conteúdo sobre:
DetranMPcorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.