MP denuncia 144 por esquema de táxis clandestinos no Rio

Centrais clandestinas de atendimento eram mantidas por falsos taxistas

estadão.com.br,

19 Agosto 2011 | 09h23

SÃO PAULO - O Ministério Público do Rio denunciou 144 pessoas acusadas de participar de um esquema de táxis clandestinos que funcionava na Região dos Lagos. Um dos denunciados, apontado como a segunda liderança mais importante do esquema, foi teve prisão preventiva realizada na quinta-feira em Cabo Frio, durante operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) contra o transporte clandestino no Estado.

 

Identificados a partir da Operação Táxi Legal, realizada em julho, os falsos taxistas responderão ação penal por formação de quadrilha, crimes contra a relação de consumo e contra a economia popular e também pela contravenção penal de exercício ilegal de profissão. As penas, somadas, podem chegar a 11 anos e três meses de reclusão.

 

Clóvis Silva de Sant'Anna, citado na denúncia como administrador do esquema, e Diego Pacheco dos Santos, presidente da Associação dos Amigos e Motoristas da Região dos Lagos e braço direito de Clóvis, tiveram a prisão preventiva decretada pela Vara Criminal de São Pedro da Aldeia por requerimento do GAECO. Diego Pacheco foi preso por policiais do MPRJ na casa da namorada, em um condomínio no Peró, em Cabo Frio.

 

De acordo com a denúncia, nos municípios funcionavam centrais clandestinas de atendimento (call centers) mantidas pelos falsos taxistas, que pagavam, cada um, "diária" de R$ 15 para trabalhar. A investigação mostra que o sistema de transporte clandestino contava com 127 veículos. Os líderes da falsa associação, denominada "Táxi do Clóvis", faturam cerca de R$ 700 mil por ano apenas com as "diárias".

 

A Operação Táxi Livre foi deflagrada na madrugada desta quinta-feira pela Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança e pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO), com apoio do GAECO. O órgão do MPRJ requereu, e a 2ª Vara Criminal de Niterói deferiu, a expedição de mandados de busca e apreensão em 14 endereços de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, na Região Metropolitana. Durante a operação, foram apreendidos seis táxis supostamente em situação irregular, além de documentos. Os motoristas responsáveis prestaram depoimento na Delegacia de Roubos e Furtos de Autos (DRFA).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.