Kelly Cadamuro/ Facebook
Kelly Cadamuro/ Facebook

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

MP denuncia homem que matou jovem durante carona combinada por app

Jonathan Pereira do Prado responderá por latrocínio, estupro, ocultação de cadáver e fraude processual

Rene Moreira, especial para o Estado

21 de novembro de 2017 | 17h29

O Ministério Público informou nesta terça-feira, 21, ter finalizado a denúncia envolvendo o homem que confessou matar e roubar a jovem Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, durante uma carona marcada pelo WhatsApp. O suspeito pelo crime, Jonathan Pereira do Prado, de 33 anos, responderá por latrocínio (roubo seguido de morte), estupro, ocultação de cadáver e fraude processual. 

+++ Acusado de matar jovem durante carona é agredido na cadeia

Foragido da cadeia desde março, ele confessou ter assassinado a vítima em Frutal, em Minas Gerais, para roubar seu carro. A jovem deu carona ao rapaz ao sair de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, com destino a Itapagipe, no Estado vizinho. Também foram denunciados - mas pelo crime de receptação - dois homens que teriam comprado partes do veículo. 

+++ Jovem morta ao dar carona economizava dinheiro para casamento

De acordo com a denúncia, Kelly foi asfixiada, perdeu os sentidos e foi violentada por Jonathan, que depois a matou por enforcamento. Segundo o MP, ele cometeu o assassinato "a fim de evitar que a vítima o reconhecesse futuramente". 

 

Dúvidas

A família de Kelly vinha criticando o ritmo das investigações do crime, ocorrido no início deste mês, e a possibilidade de existirem mais pessoas envolvidas no caso. Para o promotor Fabrício Lopo, porém, o encaminhamento do processo à Justiça não impede novas diligências e o aparecimento de outros suspeitos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.