MP denuncia membros do PCC por ataque a delegacia

O promotor de Justiça Fernando P. Kfouri, de Sumaré, na região de Campinas, ofereceu denúncia contra seis supostos integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), responsabilizando-os pelo atentado contra o 3º Distrito Policial de Sumaré, no dia 16 de março de 2002. No atentado, dois policiais civis foram mortos e um ficou gravemente ferido. Segundo o promotor, os seis são acusados de formação de quadrilha para cometer crimes, (artigo 288 do Código Penal), roubo com armas de fogo (artigo 157), atentado a bomba (artigo 251), homicídio qualificado duas vezes (artigo. 121) e tentativa de homicídio três vezes (artigo 121). Foram denunciados como planejadores da ação José Márcio Felício (Geleião), Adilson da Silva Braga (Nego Diu, Dil, Dil Neguinho, Negão ou Neguinho Dil) e Gilberto de Oliveira Filho (Bilica, Mereca). Como executores, adenúncia aponta Alexandre Cardoso da Silva (Bradock, Gordo), Manoel Alves da Silva (Sasquati) e Abílio Fidélis Dias Júnior (Fidélis, Magrão, Bisco, Pisco). Geleião, Bradock e Sasquati estão presos. Os outros três tem prisão preventiva decretada e estão foragidos.

Agencia Estado,

01 Fevereiro 2007 | 19h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.