MP deve investigar ligação de modelo com desvio de verba pública

O promotor Francisco Santiago disse nesta quinta-feira que oMinistério Público irá investigar o envolvimento da modelo Cristiana Ferreira, encontrada morta em um flat de luxo da capital mineira em agosto de 2000, e de um despachante num suposto esquema de desvio de verbas públicas. Esta seria a nova linha de investigação dos promotores que querem localizar e ouvir o despachante. Francisco Santiago, contudo, se negou a revelar nomes e outros detalhes da apuração. Um dos cinco irmãos da modelo, Reinaldo Ribeiro Ferreira, prestoudepoimento na tarde desta quinta-feira. Ele não falou com a imprensa. O advogado Rui Caldas Pimenta, que trabalha para a família de Cristiana, disse, no entanto, que ele confirmou a ligação da irmã com políticos mineiros.De acordo com o professor de Medicina Legal da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Roberto Pereira Campos, o laudo com o resultado do material recolhido na exumação do corpo de Cristiana deverá ser divulgado no dia 15 de janeiro. Um parecer do médico legista, feito a pedido da família da jovem, indicou que ela foi agredida antes de morrer.O legista indicado pelo Ministério Público, Ernani Dias, sugeriu,porém, que os sinais de asfixia apontados preliminarmente pelo colega seriam reflexo do efeito do veneno ingerido pela modelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.