MP do Rio mantém pedido de arquivamento de inquérito contra Turnowski

Ex-chefe da Polícia Civil era suspeito de vazamento de informações da operação Guilhotina

Tiago Rogero, estadão.com.br

01 Setembro 2011 | 13h31

RIO - O Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) manteve na quarta-feira, 31, o pedido de arquivamento do inquérito contra o ex-chefe de Polícia Civil do Rio, delegado Allan Turnowski, por suposta prática do crime de violação de sigilo profissional durante a operação Guilhotina, da Polícia Federal, desencadeada em fevereiro deste ano.

 

O arquivamento já havia sido solicitado à 32ª Vara Criminal da Capital por uma promotoria, e foi confirmado ontem pelo Procurador-Geral, do MP-RJ, Cláudio Lopes.

 

Durante a operação, foram presos 30 policiais civis e militares acusados de ligações com milicianos e traficantes de drogas. O delegado, então chefe de Polícia, foi indiciado por vazamento de informações. A Polícia Federal interceptou uma ligação de Turnowski, durante o andamento das investigações, a um delegado que estava envolvido nos crimes.

 

Na confirmação do pedido arquivamento, Lopes afirmou que, em depoimento, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, disse não ter dado a Turnowski nenhuma informação sobre a investigação da Polícia Federal ou ter especificado quais policiais estariam "sob suspeita de praticar ilícitos".

"Também não há, no entendimento do Procurador-Geral e de sua assessoria técnica, evidência que aponte a correlação entre o diálogo mantido por Turnowski com o Delegado Christiano Gaspar Fernandes, interceptado em novembro de 2010, e a operação deflagrada em fevereiro de 2011", informou o MP-RJ.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.