MP entra com ação contra mãe de menor por negligência

O Ministério Público entrou hoje com uma ação na Justiça contra Daise Lopes Maia, mãe do menor B.M. S., de 16 anos, por "omissão de responsabilidade". Na madrugada de quarta-feira, o adolescente e um amigo arrombaram um caixa eletrônico no Leme, zona sul. Os dois foram presos sem roubar nada. Na ocasião, B. dirigia o carro de Daise sem ter a habilitação permitida, o que evidencia descumprimento do compromisso judicial.No dia 16 de dezembro do ano passado, a mãe do menor assinou um Termo de Advertência, tomando conhecimento de que seu filho havia cometido uma infração. Em julho do mesmo ano, ele foi preso tentando roubar um prédio na Urca, bairro residencial da cidade. A Justiça entendeu que o tempo de reincidência do adolescente para o crime foi muito curto e Daise não cumpriu devidamente o acordo, que prevê auxílio aos órgãos federais, caso ela não conseguisse sozinha promover o bem-estar e o desenvolvimento de seu filho. B.M.S. está internado no Instituto Padre Severino, que abriga menores infratores, e aguarda julgamento previsto para maio. Se condenado, sua pena pode chegar a três anos. O MP achou estranho também o fato de o menor ter sido preso em circunstâncias muito semelhantes às da tentativa de assalto do ano passado. Para arrombar o caixa eletrônico, ele e Eric Nunes, de 18 anos, usaram as mesmas ferramentas - chave de fenda e alicate - e atuaram por volta do mesmo horário, 3h. O promotor da 2ª Vara da Infância e da Juventude, Márcio Mothé, considerou a atitude de Daise negligente e disse que o Estatuto da Criança e do Adolescente prevê medidas aplicáveis aos pais em casos como este. "A sociedade não pode ser vítima e pagar pelos erros cometidos por pais negligentes". Em 1997, Mothé moveu ação parecida contra o pai de um menor de 17 anos, que foi considerado reincidente pela justiça. O adolescente foi preso com 970 gramas de maconha, no morro do Turano, zona norte, e iria consumir a droga durante a Semana Santa.Durante a autuação de B.M.S na Delegacia de Roubos e Furtos, Daise se recusou a dar declarações. Ela ameaçou agredir uma fotógrafa do jornal O Globo e dizia que era "mulher de policial".

Agencia Estado,

26 de abril de 2002 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.