MP exige fim das cargas perigosas na Serra de Torrinha

Até o final do mês deverá ser proibida a circulação de veículos com mais de 20 toneladas eque transportem combustíveis e outras cargas perigosas pelo trecho da serra de Torrinha, na rodovia SP-304. A determinação éda Justiça, através de uma liminar expedida no âmbito de uma ação civil pública proposta pelo promotor José Fortunato Neto, de Brotas, que pretende a restauração do trecho e o seu uso adequado. A estrada, de pista simples, comporta, segundo os regulamentos do próprio DER, capacidade para a circulação de 300 a 700veículos por dia, mas por ali passam aproximadamente 3 mil, a maioria carretas e outros caminhões pesados, em fuga dospedágios das rodovias Washington Luiz, Anhanguera e Nilo Ramano. O tráfego, além de acentuado, provoca a deterioração maisrápida do trecho. Pela decisão judicial a SP-304 tem de receber finalização e operação tapa-burados num prazo de 60 dias. E,no máximo, em 180 dias, devem estar começadas as obras de segurança no trecho da serra, inclusive a instalação de defensas. Se esses prazos não forem cumpridos, o DER ficará sujeito à multa diária de 3 mil Ufesps, equivalente a R$ 34 mil.

Agencia Estado,

12 de janeiro de 2004 | 16h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.