MP instaura inquérito para investigar naufrágio em Cabo Frio

O Ministério Público estadual instaurou hoje inquérito civil para apurar responsabilidades no naufrágio da embarcação Tona Galea, no último sábado em Cabo Frio, que matou 15 turistas. O inquérito terá como ponto de partida falhas na fiscalização e irregularidades nos estaleiros localizados no município. Foram encaminhados ofícios à Capitania dos Portos e à prefeitura de Cabo Frio e ao Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Estado do Rio de Janeiro, com prazo de 15 dias para resposta. No ofício à Capitania dos Portos de Cabo Frio, o MP requer esclarecimentos sobre como é realizada a fiscalização das embarcações destinadas ao transporte de passageiros, qual foi a última fiscalização feita, seus resultados, e quantos e quais barcos estão autorizados a transportar passageiros. Segundo o promotor Bruno Lima Stibich, o inquérito tem a intenção de mostrar que as embarcações que transportam passageiros no município estão operando sem as devidas condições de segurança. Ele também quer averiguar a regularidade dos estaleiros da região, pois o Tona Galea foi adaptado para navegar em mar aberto em um estaleiro clandestino. As informações são da Agência Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.