MP investiga venda de ações para cercar Freud

O procurador da República em Mato Grosso, Mário Lúcio Avelar, afirmou que pedirá a relação das transações de compra e venda de ações realizadas pela Telemig no dia 5 de setembro. O pedido será encaminhado à própria Telemig, à Bolsa de Valores de São Paulo e ainda à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).O objetivo é investigar a operação pela qual Freud Godoy, ex-assessor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, teria recebido naquele dia R$ 396 mil do megainvestidor Naji Nahas, por meio da corretora do Banco Alpha, informação publicada em O Estado de S. Paulo, na última quarta-feira. Dez dias depois, no dia 15 de setembro, os petistas Gedimar Passos e Valdebran Padilha foram presos em São Paulo com R$ 1,75 milhão que seria usado para comprar um dossiê contra políticos tucanos. Freud foi inicialmente citado por Gedimar como o mandante da operação.Sobre a operação divulgada pela imprensa, Godoy afirmou que o sigilo bancário de sua conta corrente ou da conta da empresa Caso Sistemas de Segurança, de propriedade de sua mulher, Simone Messeguer Pereira Godoy, foi quebrado ilegalmente. ?Houve quebra ilegal do sigilo bancário. Não há qualquer decisão judicial autorizando a divulgação ou acesso aos dados bancários, seja de Freud, seja da empresa Caso?, ressalta o advogado de Freud, Augusto Botelho, na nota enviada à imprensa e publicada no site Consultor Jurídico, na última quarta-feira.OperaçãoOs R$ 396 mil eram referentes à venda de ações da Telemig, que pertenciam a Nahas, e teriam sido depositados em favor de Freud em uma agência do Banco do Brasil em Brasília. Em seguida, o dinheiro teria sido repassado para a Caso Sistema de Segurança Ltda., empresa de sua mulher, Simone Messeguer Pereira Godoy.O procurador quer saber se realmente o dinheiro foi transferido para Freud, mesmo que indiretamente. "Pedirei o boleto da CVM, da Bolsa de Valores e a lista de venda de ações na Telemig, além da quebra do sigilo das contas bancárias de Freud, Simone Godoy e da empresa Caso", afirmou.GabeiraO ex-assessor de Lula disse que vai interpelar o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), integrante da CPI dos Sanguessugas, no Supremo Tribunal Federal e pedirá à Polícia Federal que instaure inquérito policial para apurar eventual prática de crime por ele ter revelado o caso. Na nota, Freud e seu advogado asseguraram que "as acusações de que teria recebido elevada importância do investidor Naji Nahas não são verdadeiras"."Se quiser interpelar, que interpele", reagiu Gabeira, em entrevista ao Estado de S. Paulo. "Essa é uma tentativa de intimidação. Eu mesmo disse que era uma pista que tinha de ser investigada e nessa condição não poderia ser usada como prova. Agora, o importante é saber se essa negociação ocorreu ou não."

Agencia Estado,

13 de outubro de 2006 | 12h10

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.