MP oferece 1ª denúncia contra ladrão do Masp

O Ministério Público Estadual (MPE) ofereceu ontem a primeira denúncia à Justiça contra um dos assaltantes das telas de Picasso e de Portinari do Museu de Artes de São Paulo (Masp), levadas no dia 20 de dezembro. Francisco Laerton Lopes de Lima, preso, uma semana após o sumiço dos quadros, pelos policiais do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), foi acusado formalmente pela promotora Lilian Cavalcante de Albuquerque pela tentativa de roubo ao museu praticada por ele e dois comparsas no dia 29 de outubro. Naquela noite, os três renderam dois vigias do Masp e, armados, anunciaram o assalto. Desistiram por não conseguir chegar às obras, no subsolo do prédio.Robson de Jesus Jordão, preso no dia 8, só foi reconhecido pelos vigias na tarde de ontem e por isso não foi denunciado pela promotora. O terceiro assaltante, chamado de "João" e citado na acusação do MPE, ainda não foi identificado. Segundo o delegado Adilson Marcondes, o foragido Moisés Manuel de Lima Sobrinho, de 25 anos, ainda não foi capturado e não teria participado da primeira tentativa de roubo. O delegado explicou que Sobrinho foi identificado logo após a prisão de Lima, mas como a recuperação dos quadros era a prioridade e estavam sob a guarda de Jordão, decidiram capturá-lo primeiro. Ontem, policiais do Deic fizeram diligências em Suzano, na Grande São Paulo, mas nenhuma pista importante foi encontrada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.