Leonardo Soares/AE
Leonardo Soares/AE

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

MP pede cancelamento de show do Luan Santana no RJ por falta de segurança

Segundo promotoria, Happy Land não tem autorizações para eventos com mais de 3 mil pessoas

Estadão.com.br,

17 de outubro de 2011 | 17h43

SÃO PAULO - O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) pediu na Justiça o cancelamento de um show do cantor Luan Santana na cidade de Itaboraí, na região metropolitana, por falta de segurança no local da apresentação. Também foi requerida em caráter liminar a suspensão da venda de ingressos e devolução do valor pago por quem já comprou as entradas.

O pedido foi feito contra a casa de diversões Happy Land pois, segundo o MP, a empresa organizadora do evento e a proprietária do estabelecimento não apresentaram todos os alvarás, autorizações e certificados necessários. Estima-se que cerca de 20 mil pessoas compareçam ao evento.

A ação civil pública foi ajuizada pela Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Itaboraí, após um inquérito constatar diversas irregularidades relativas à organização do show.

Segundo a investigação, o alvará provisório de localização e funcionamento da Happy Land está vencido desde fevereiro de 2011. O certificado do Corpo de Bombeiros também só autoriza eventos de até três mil pessoas no local. O pedido de cancelamento deve ser julgado ainda nesta semana.

Procurada pela reportagem para comentar o assunto, o responsável pela casa de eventos não foi encontrado, assim como os representantes do cantor Luan Santana.

Morte. A promotoria ainda cita no pedido que a Happy Land já cometeu infrações, ressaltando que um adolescente morreu numa rave, realizada em 2007, por causa do elevado consumo de drogas e álcool. Segundo o MP, vários menores participaram da festa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.