MP pede desocupação de áreas de risco e obras em encostas em Teresópolis

Ações requerem ainda a realização de obras de contenção e a readequação urbanística da cidade

estadão.com.br,

25 Janeiro 2012 | 17h00

SÃO PAULO - O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) ajuizou sete ações civis públicas para que o Estado e o município de Teresópolis, na região serrana, adotem imediatas medidas de desocupação das áreas com risco de deslizamento e enchentes. Estima-se que em Teresópolis cerca de 12 mil a 14 mil moradias estão em áreas de risco, afetando 55 mil pessoas.

As ações requerem também a realização de obras de contenção e estabilização de encostas e a readequação urbanística da cidade. A medida foi tomada pelo MP-RJ após diversos laudos periciais e vistorias constatarem que o poder público não está agindo de forma eficaz para proteger a população contra novos desastres como a catástrofe de janeiro de 2011, quando as fortes chuvas e os deslizamentos deixaram centenas de mortos

As ações dizem respeito aos seguintes bairros: Caleme, Parque do Imbuí, Salaco, Granja Florestal, Vale da Biquinha, Poço dos Peixes, Vieira, Três Córregos, Bonsucesso, Estrelinha, Lucius, Espanhol e Féo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.