MP pede fechamento de necrotério em Nova Friburgo-RJ

Entre as irregularidades apontadas está o forte odor provocado pela falta de equipamentos de refrigeração e esterilização adequados

Solange Spigliatti, do estadão.com.br,

06 de agosto de 2010 | 08h29

SÃO PAULO - A Promotoria de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro, ajuizou na semana passada uma ação pública pedindo a interdição e a regularização das condições de funcionamento dos serviços de necropsia do Instituto Médico Legal (IML) na cidade. O Ministério Público do Estado verificou, após inquérito civil instaurado em 2005, que o necrotério viola a legislação sanitária, ambiental e urbanística, e as suas precárias condições põem em risco a saúde pública, o meio ambiente e a ordem urbana.

 

Entre as irregularidades apontadas está o forte odor provocado pela falta de equipamentos de refrigeração e esterilização adequados, que se espalha pela vizinhança e atrai insetos, além dos resíduos de lavagem (com material biológico considerado lixo hospitalar) que escoam pelo ralo e não têm nenhum tipo de tratamento sanitário.    

 

O documento também revela o persistente descumprimento das inúmeras notificações da Vigilância Sanitária e do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), de acordo com o MP. Em junho, a Secretaria estadual de Obras informou que o projeto de construção do novo posto de polícia técnico-científica em Nova Friburgo, incluindo o novo IML, permanecia adiado sem previsão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.