MP pede prisão de 22 acusados de exploração de menores

O Ministério Público Estadual (MPE) de Minas Gerais solicitou a prisão preventiva de 22 acusados de envolvimento com a exploração sexual de menores na cidade de São Francisco, região norte do Estado. Outras 15 pessoas foram denunciadas. As acusações abrangem crimes de estupro e atentado violento ao pudor, corrupção de menor, favorecimento à prostituição, ameaça, constrangimento ilegal e submissão de criança ou adolescente à prostituição e exploração sexual.De acordo com o MPE, entre as pessoas que tiveram a prisão preventiva decretada, há dois vereadores, quatro policiais militares, um servidor da Fazenda estadual e dois proprietários de hotéis na cidade, além de comerciantes, vendedores ambulantes, a dona de uma casa de prostituição de 79 anos de idade e mulheres que intermediavam "clientes" para algumas adolescentes.Os promotores Márcio Rogério de Oliveira e Luciana Kellen Santos Pereira assinam a denúncia, que foi apresentadaanteontem (24) na 1ª Vara da Comarca de São Francisco. Eles informaram que os nomes dos acusados só serão divulgados se aJustiça acatar a denúncia e solicitaram que as ações penais tramitem em segredo de justiça, com a justificativa de que aexposição pública poderá afetar a dignidade e intimidade das vitimas. A acusação formal teve como base um inquérito policial, concluído no dia 6 de maio pela delegada Tânia Darc dosSantos, e que resultou no indiciamento de 42 pessoas. O MPE investiga o caso desde novembro do ano passado, após denúncia do Conselho Tutelar do município. Depois deconcluído o inquérito policial, os promotores promoveram diligências complementares e ouviram algumas adolescente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.