MP pede prisão de policiais acusados de tortura no Rio

Segundo promotores do caso, se livres, agentes podem interferir na colheita de provas

Solange Spigliatti, Central de Notícias

04 de abril de 2011 | 16h32

SÃO PAULO - O Ministério Público (MP) do Rio pediu nesta segunda-feira, 3, a prisão temporária de cinco policiais da 10ª DP, em Botafogo, acusados de torturar José dos Santos Filho, funcionário de um ferro-velho, no dia 24 de março deste ano.

 

De acordo com o inquérito da Corregedoria Interna da Polícia Civil, Jorge Alessandro Xavier Pereira, Rodrigo Soares de Assis Mariz, Thiago Santos Castro Del Rio, Antonio Carlos Nogueira Moraes Cardoso e Marcelo Xavier da Silva teriam praticado os crimes dentro da delegacia.

 

Segundo os promotores de Justiça Homero Freitas, Márcio José Nobre de Almeida e Alexandre Murilo Graça, a prisão temporária é necessária para evitar que os indiciados possam interferir na colheita de provas - por haver, ainda, testemunhas a serem ouvidas e outras diligências a serem realizadas. Além disso, com a decretação da prisão dos policiais, o MP pretende identificar outros possíveis coautores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.