MP pede prisão de policiais acusados de tortura no Rio

Segundo promotores do caso, se livres, agentes podem interferir na colheita de provas

Solange Spigliatti, Central de Notícias

04 Abril 2011 | 16h32

SÃO PAULO - O Ministério Público (MP) do Rio pediu nesta segunda-feira, 3, a prisão temporária de cinco policiais da 10ª DP, em Botafogo, acusados de torturar José dos Santos Filho, funcionário de um ferro-velho, no dia 24 de março deste ano.

 

De acordo com o inquérito da Corregedoria Interna da Polícia Civil, Jorge Alessandro Xavier Pereira, Rodrigo Soares de Assis Mariz, Thiago Santos Castro Del Rio, Antonio Carlos Nogueira Moraes Cardoso e Marcelo Xavier da Silva teriam praticado os crimes dentro da delegacia.

 

Segundo os promotores de Justiça Homero Freitas, Márcio José Nobre de Almeida e Alexandre Murilo Graça, a prisão temporária é necessária para evitar que os indiciados possam interferir na colheita de provas - por haver, ainda, testemunhas a serem ouvidas e outras diligências a serem realizadas. Além disso, com a decretação da prisão dos policiais, o MP pretende identificar outros possíveis coautores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.