MP pede prisão preventiva de procuradora acusada de maltratar criança

Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) irá analisar pedido; menina teria de passar por avaliação psicológica nesta terça, 4, mas chorou muito e 'não quis contato'

Priscila Trindade, do estadão.com.br

04 de maio de 2010 | 17h59

SÃO PAULO - O Ministério Público Estadual do Rio informou nesta terça-feira, 4, que encaminhou à Justiça o pedido de prisão preventiva da procuradora aposentada Vera Lúcia Sant'Anna Gomes, de 57 anos, suspeita de agredir uma menina de 2 anos que estava provisoriamente sob sua guarda.

 

O Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) irá analisar o pedido. No dia 29 de abril, a procuradora foi indiciada pela Polícia Civil pelo crime de tortura qualificada.

 

Hoje, a menina teria de passar por uma avaliação psicológica para ser estimulada a falar sobre o que aconteceu no mês em que ela esteve no apartamento da procuradora, em Ipanema, na zona sul da cidade.

 

Devido ao estado emocional da criança, o atendimento foi suspenso 10 minutos após ter começado. O psicólogo Gilberto Fernandes, da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), informou que a criança chorou muito e "não quis contato".

 

Segundo Fernandes, o relatório feito por uma psicóloga do juizado que atendeu a criança poderá ser usado caso atenda as necessidades da investigação.

 

Laudo do Instituto Médico Legal (IML) aponta que a criança foi vítima de maus-tratos. Ex-funcionárias de Vera Lúcia denunciaram o caso à polícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.