MP promete investigar acidente até últimas conseqüências

O promotor de Justiça, Saad Mazloum, declarou nesta terça-feira, 16, que irá ´investigar até as últimas conseqüências´ as causas do acidente nas obras da Linha 4 do Metrô. "Prometo que vou chegar às últimas conseqüências. Acabo de pedir para o Metrô toda a papelada referente ao dia-a-dia da investigação, quero que me mostrem como ela era feita, parede por parede, dia a dia.".Saad Mazloum visitou o local do acidente em companhia do procurador-geral de Justiça de São Paulo, Rodrigo Pinho e dos promotores Carlos Alberto Amin e José Carlos Blat. Da comitiva faziam parte também quatro engenheiros e dois geólogos. Segundo Mazloum, o MP-SP entra no caso ?para que a investigação fique independente?, afirmou.Segundo Mazloum, o foco de suas investigações será o sistema de turn key, fechado entre o governo do estado e o consórcio de empreiteiras responsável pela obra. Nesse sistema, o preço do empreendimento é fechado logo no começo das negociações. A empresa fica com todas as responsabilidades da construção. Autoridades públicas como o metrô, a Secretaria de Transportes e o governo do estado não têm participação nas decisões sobre os procedimentos da obra.O Ministério Público trabalha com duas frentes de investigação do acidente. A área criminal está sob responsabilidade de Blat. Ele acompanha o inquérito aberto na 3ª seccional Oeste da Polícia Civil pelo delegado-titular, Dejair Rodrigues. Na área cível estão Amin Filho, que cuida da parte de habitação e urbanismo, e Saad Mazloum, promotor da área de Cidadania.Informações obtidas pela Consultor Jurídico dão conta de que no Ministério Público se analisa a possibilidade de recorrer à Justiça para pedir a paralisação das obras de Linha 4 do metrô.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.