MP quer 70 milhões de indenização por greve do Metrô

O Ministério Público do Estado de São Paulo determinou, no fim da manhã desta quinta-feira, 17, o início de uma investigação que tentará coletar provas para fundamentar uma Ação Civil Pública que pleiteará, no mínimo, a soma de RS$ 70 milhões, do Sindicato dos Metroviários de São Paulo. A ação é contra o seu presidente, Flávio Godoi, que declarou à imprensa ter sido política, e não trabalhista, a greve que parou São Paulo, há dois dias. A investigação é comandada pelo promotor de Justiça da Cidadania, Saad Mazloum.Mazloum é taxativo. ?Essa greve constituiu exercício ilegal de protesto, foi uma greve que exorbitou todos os parâmetros, uma greve que feriu os interesses da coletividade, por isso o morador de São Paulo merece uma resposta da Justiça, sob a forma de reparação de danos morais e materiais?, diz Mazloum.Segundo Mazloum, a soma de RS$ 70 milhões pode parecer absurda, mas não é. No ano passado, em decorrência de ter promovido uma passeata numa grande avenida paulistana, o Sindicato dos Despachantes de São Paulo gerou uma perda de RS$ 300 mil para a entidade de classe.?O movimento deles prejudicou 1,3 mil pessoas. Perderam na Justiça esses RS$ 300 mil, que estamos executando agora, sob a forma do confisco do prédio em que funciona o Sindicato dos Despachantes. Se pensarmos nisso, RS$ 70 milhões para uma greve que afetou 2 milhões de pessoas é uma soma justa?, explica Saad Mazloum.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.