MP quer acabar com a ´Bandeira dois´ nos táxis de Salvador

Os 13 mil taxistas que atuam em Salvador estão na mira do Ministério Público Estadual, que tenta acabar com a cobrança da ´bandeira dois´ pelos prestadores de serviço no Estado.A iniciativa é do promotor de Justiça do Consumidor, Olímpio Coelho Campinho Júnior, que argumenta contra a cobrança da bandeira dois "para deslocamentos dentro de um mesmo bairro, apenas por não estar próximo ao centro da cidade", condena.Para o integrante do MP, "não é admissível que existam restrições territoriais que discriminem moradores dentro do limite urbano" do mesmo município.A bandeira dois atualmente é cobrada em três situações: das 22h às seis horas, com três passageiros ou mais e nos e fins de semana . Os limites urbanos, para cobrança da tarifa, incluem os bairros de Boca do Rio, Avenida Paralela, BR-324, Campinas, Suburbana e Estradas das Barreiras.Para o MP, trata-se de mecanismo inconstitucional. Os taxistas aceitam discutis a extinção, mas querem compensações. Para Valdeilson Miguel, da associação dos taxistas, "é preciso remunerar quem trabalha à noite, em feriados e fins de semana", defende o sindicalista.

Agencia Estado,

14 de outubro de 2006 | 12h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.