MP quer identificar mandante da morte de Arthur Sendas

Segundo promotor do caso, há indícios que apontam para um mandante; delegacia já abriu inquérito

Pedro Dantas, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2008 | 18h42

Insatisfeito com o andamento do inquérito policial que apura a assassinato do empresário Arthur Sendas, o Ministério Público do Rio pediu que a 14ª Delegacia de Polícia do Leblon, zona sul do Rio, uma investigação para identificar quem foi o mandante do homicídio ocorrido em outubro. "Há sérios indícios que apontam a existência de um mandante neste crime. O laudo pericial afastou completamente a hipótese de disparo acidental e a história do assassino não confere. Não podemos apontar nomes ou supostas motivações, mas há suspeitas sobre familiares e pessoas com quem o empresário teve relações de negócios", afirmou o promotor Marcos Kac. Agentes da 14ª DP informaram que a investigação está em andamento.   Veja também: Para amigos, morte de Arthur Sendas foi encomendada Advogado dos Sendas suspeita que morte foi encomendada Rede Sendas começou como armazém na Baixada Fluminense   Sendas foi morto em casa pelo motorista particular de seu neto, Roberto Costa Júnior, de 28 anos, que está preso e responde por homicídio doloso (com a intenção de matar). No entanto, a versão de Costa Júnior, que alega ter ido à casa do patrão discutir sobre um possível demissão e ter disparado acidentalmente, é contestada por amigos e advogados da família Sendas.   Segundo eles, ao contrário do que o criminoso informou, ele não seria demitido após a ida do neto do empresário para os Estados Unidos. Além disso, os advogados da família obtiveram fotos do assassino bebendo champanhe e sorrindo na véspera do crime. Eles dizem acreditar que a postura do criminoso contradiz a sua história de que estaria tenso com dívidas financeiras e deprimido com a suposta ameaça de perder o emprego.   Nesta segunda-feira, 15, começou a funcionar o serviço de disque-denúncia dos amigos do empresário. Eles publicaram anúncios no domingo em jornais do Rio oferecendo R$ 50 mil à pessoa que fornecer a identificação e a responsabilização do mandante do homicídio. "Produziremos o relatório com as primeiras denúncias na quarta-feira. Há a convicção dos amigos de que há alguém por trás deste crime", declarou o advogado, Claudio Costa, do Escritório Nilo Batista, que representa a família Sendas. O telefone para denúncias é (21) 3527-0637.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.