MP tem reunião com a Light para tratar sobre explosões de bueiros

Reunião, que acontece às 11h, será para finalização de termo que impõe multa em caso de novas explosões

Priscila Trindade, estadão.com.br

01 de julho de 2011 | 09h57

SÃO PAULO - Representantes da empresa de energia elétrica Light e do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) se reúnem nesta sexta-feira, 1º, para finalizar a redação do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), que impõe medidas para evitar a explosão de bueiros na capital fluminense. O documento prevê a aplicação de multas caso ocorram mais explosões. A reunião terá início às 11 horas.

 

De acordo com o titular da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da Capital, promotor Rodrigo Terra, se a concessionária não aceitar a sanção econômica prevista no termo, o MP vai requerer ao Poder Judiciário que a empresa seja multada em R$ 1 milhão em cada nova explosão.

 

O TAC prevê ainda que a Light deva se comprometer a reformar quatro mil câmaras subterrâneas nos próximos dois anos, com monitoramento centralizado e o uso de sensores eletrônicos de gás, de água e de presença humana para prevenir novos acidentes.

 

Explosões de bueiros se tornaram frequentes no Rio. Os casos mais graves ocorreram em Copacabana, na zona sul. Neste ano, um transformador da Light explodiu e um táxi que passava por cima do bueiro foi atingido. O motorista e os passageiros tiveram ferimentos. Há um ano, também em Copacabana, outro bueiro explodiu e provocou ferimentos graves em dois turistas americanos. Sarah Nicole Lowry, então com 28 anos, teve 80% do corpo queimado e ficou 68 dias internada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.