MP tenta encontrar testemunha do massacre do Carandiru

Uma das testemunhas de acusação do coronel Ubiratan Guimarães não foi encontrada nesta quarta-feira em sua casa. O ex-presidiário Aparecido Donizete Domingues, sobrevivente do massacre no Carandiru, havia sido intimado nesta terça-feira para prestar depoimento sobre o caso. O promotor de Justiça Carlos Cardoso, assessor de Direitos Humanos da Procuradoria-Geral de Justiça, que acompanha os trabalhos da acusação, informou que representantes do Ministério Público ficaram encarregados de buscar a testemunha, que mora num bairro da periferia. Domingues, porém, não foi encontrado. Apesar da previsão de que ele só deve depor em dois ou três dias, o ex-detento precisava ter ido nesta quarta ao julgamento, para ficar à disposição da juíza Maria Cristina Cotofre. Segundo o promotor, a juíza procurou a testemunha, em vão. De acordo com Cardoso, a acusação voltará à casa de Domingues ainda nesta quarta para tentar encontrá-lo e saber o motivo pelo qual estava desaparecido. A testemunha é sobrevivente do Carandiru e escapou da morte porque escondeu-se embaixo de cadáveres. Além dele, outras cinco testemunhas - de um total de nove arroladas pela acusação do coronel - são sobreviventes. José André de Araújo, de 29 anos, conhecido como André do Rap por cantar esse tipo de música, é um dos que devem depor. Ele esteve no Fórum e entrou na sala do júri.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.