MPE manda exumar corpo de modelo por suspeita de homicídio

O Ministério Público estadual determinou nesta segunda-feira a exumação do corpo da modelo Cristiana Ferreira, encontrada morta em um flat de luxo na região sul da capital mineira, em agosto de 2000. O pedido de exumação foi feito pelo advogado da família, Rui Pimenta, quese baseou em um laudo apresentado na última sexta-feira pelo professor de Medicina Legal da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Roberto Pereira Campos.O parecer, encomendado pelos familiares da modelo e feito com base em fotos e peças dos autos do processo, aponta que Cristiana foi agredida antes de morrer e seu corpo apresentava sinais de sufocamento.O laudo seria entregue ainda nesta segunda à comissão de promotores encarregada do caso.A exumação, prevista para a próxima quarta-feira, deverá comprovar se a modelo foi agredida ese estava ou não grávida.As investigações estariam em fase final, e as hipóteses mais prováveis que estão sendo analisadas são: crime passional, vingança ou morte encomendada. Neste caso, Cristiana teria sido morta por estar chantageando alguém. As investigações foram reabertas no mês passado por promotores do MPE que contestam a condução do inquérito e o laudo final da Polícia Civil, que na época apontou como causa da morte suicídio por ingestão de veneno para ratos. O caso ganhou grande repercussão porque a modelo, que tinha 23 anos e se apresentava como ex-miss, teria envolvimento com pessoas do primeiro escalão do governo mineiro, empresários e deputados federais do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.