MPE vai apurar responsabilidade por tragédia no RJ

O Ministério Público Estadual (MPE) instaurou inquéritos civis no Rio, Niterói e Petrópolis para apurar eventual responsabilidade do Estado e dos municípios nas inundações, deslizamentos e mortes provocadas pelas chuvas. Ontem, o MPE já havia aberto inquérito em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, com o mesmo objetivo. O governador Anthony Garotinho e o prefeito de Caxias, José Camilo Zito dos Santos Filho, trocam acusações sobre a responsabilidade na tragédia. "O Ministério Público vai buscar elementos que possam demonstrar exatamente o que está acontecendo, quais os responsáveis e que medidas as autoridades estão tomando para resolver estas questões. Esses procedimentos têm basicamente dois objetivos: buscar soluções para as graves perdas ocorridas e identificar eventuais omissões do poder público", afirmou o coordenador das Promotorias de Proteção aos Interesses Difusos do MPE, Cláudio Henrique da Cruz Vianna. Responsável pelo inquérito de Petrópolis, onde os maiores problemas foram provocados por deslizamentos de terra, o promotor Tiago Joffily lembrou que cabe ao prefeito "o adequado ordenamento territorial, para impedir ocupações em áreas de risco". Já o promotor Carlos Frederico Saturnino, de Caxias, cobrou do Estado a limpeza periódica dos rios e cursos d´água do município. "Quanto a Caxias, a prefeitura deve manter desobstruídas as galerias de drenagem das águas pluviais e fiscalizar a proliferação de ocupações clandestinas", disse Saturnino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.