MPF denuncia mais 2 homens por pedofilia

Eles usavam software que permitia compartilhar imagens pornográficas

Bárbara Souza, O Estadao de S.Paulo

28 de abril de 2009 | 00h00

Mais dois homens acusados de distribuir vídeos e imagens de pornografia infantil na internet foram denunciados pelo Ministério Público Federal em São Paulo, ontem. Com esses dois casos, chega a quatro o número de pessoas denunciadas pelo MPF no Estado após as investigações feitas pela Polícia Federal nas Operações Carrossel 1 e 2, iniciadas em 2007. Os dois denunciados, um técnico em informática e um engenheiro naval, têm 57 anos e estão em liberdade. As acusações, acrescidas de agravantes, podem resultar em condenações de até 10 anos de prisão.Segundo a promotora federal Priscila Costa Schreiner, do Grupo de Combate a Crimes Cibernéticos, as denúncias foram oferecidas à Justiça com base nas provas colhidas nas Operações Carrossel 1 e 2.As duas denúncias foram feitas com base no Artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), porque as investigações começaram antes de o presidente Lula sancionar o projeto de lei que aumenta a punição e a abrangência de crimes de pedofilia na internet, em novembro do ano passado.O técnico em informática H.P.A.B. usou um programa de compartilhamento de arquivos, entre 2006 e 2007, para disponibilizar 15 imagens e vídeos com cenas de sexo explícito envolvendo crianças e adolescentes. Em seu HD foram encontradas milhares de imagens de cunho pornográfico e sexual infantil. O engenheiro naval R.B.S. usou o mesmo software para disponibilizar, em março de 2008, 1.613 arquivos com cenas de sexo explícito envolvendo menores. No caso do engenheiro, a perícia encontrou também e-mails em inglês para negociar compra ou troca do material.Desde a criação do Grupo de Combate a Crimes Cibernéticos do MPF em São Paulo, em 2003, 19 processos criminais foram abertos pelo crime previsto no Artigo 241 do ECA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.