MPF pede afastamento de policiais que receberam propina no Rio

Eles são acusados de terem cobrado para liberar carro apreendido com maconha

estadão.com.br,

24 Agosto 2011 | 09h26

SÃO PAULO - O Ministério Público Federal (MPF) do Rio pediu o afastamento imediato de dois policiais rodoviários federais acusados de receberem propina de traficantes de drogas para liberar um carro apreendido com maconha na BR-101, em Resende.

 

O MPF quer ainda que os agentes percam a função pública de policiais rodoviários, tenham os direitos políticos suspensos por oito anos e sejam impedidos de contratar com o poder público ou receber benefícios e incentivos fiscais por seis anos. Na esfera criminal, os policiais já foram condenados pela 2ª Vara Federal de Campos a 10 e 13 anos de prisão e pagar multa de R$ 33 mil. A ação foi movida pelo procurador da República Eduardo Santos de Oliveira, que denunciou criminalmente os policiais em junho de 2010.

 

Em maio de 2010, dois traficantes de uma quadrilha de Vitória, Espírito Santo, transportavam 65 kg de maconha. Ao serem parados pelos dois policiais na BR-101, em Resende, os suspeitos negociaram com os policiais a liberação do carro no dia seguinte, em Campos. O serviço de inteligência da Polícia Federal no Espírito Santo flagrou a entrega do veículo pelos policiais a dois integrantes da quadrilha.

 

Seis integrantes da quadrilha foram condenados a penas entre 10 e 14 anos de prisão, além de mais de R$ 177 mil de multa, pelos crimes de tráfico de drogas, associação com o tráfico e corrupção ativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.