MPF vai pedir quebra de sigilo de diretores de sindicato

O Ministério Público Federal (MPF) está aguardando informações da Receita Federal para pedir a quebra do sigilo fiscal e bancário de 14 dos 17 diretores do Sindicato dos Motoristas e Cobradores que tiveram a prisão temporária decretada.Três deles - o presidente Edivaldo Santiago da Silva e os diretores Edivaldo Gomes de Oliveira, o Dentinho, e Francisco Xavier da Silva Filho, o Chiquinho, já tiveram o sigilo bancário e o fiscal quebrados pela Justiça Federal, no dia 13.Além do depoimento de testemunhas, o acesso a dados fiscais e bancários é considerado parte importante para que seja provada, enfim, a antiga suspeita do MPF e, principalmente, do Ministério Público do Trabalho: donos de empresas incentivam os líderes do sindicato a promoverem greves e piquetes.Segundo o MPF, as informações da Receita sobre Santiago, Chiquinho e Dentinho revelam patrimônio incompatível com o que eles dizem ganhar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.