AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

MS terá 200 homens da Força Nacional de Segurança Pública à disposição

A partir da próxima semana, Mato Grosso do Sul contará com 200 homens da Força Nacional de Segurança Pública. A tropa será recepcionada no Aeroporto Internacional de Campo Grande pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, segundo garantiu nesta quinta-feira o governador José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT. Ele acrescentou que, na ocasião, o ministro assina convênio para liberação de verba federal no valor de R$ 10 milhões, para reformas dos quatro maiores presídios do Estado, destruídos pelos presos durante as rebeliões dos últimos dias 14 e 15.Os complexos penitenciários instalados em Campo Grande, Três Lagoas, Dourados e Corumbá, que ficaram vulneráveis depois da depredação, exigem a presença diuturna de tropas da Polícia Militar para evitar fugas. "Nossos policiais militares estão trabalhando há quase duas semanas no limite. Precisam ser substituídos, para o merecido descanso de cada um deles", disse o governador.Segundo ele, na conversa que manteve na quarta-feira com Thomaz Bastos, ficou acertada a visita do ministro para a próxima semana, em dia ainda a ser marcado. Disse também ter sugerido que a liberação do dinheiro não precisa ser de uma só vez, podendo elaborar um cronograma na medida que as reformas forem sendo executadas. "Nós vamos concentrar esforço na recuperação do Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, onde estão mais de 1.400 detentos".InteligênciaComeçou funcionar a partir desta quinta-feira em todo o Estado, a GISP (Gerência de Inteligência do Sistema Penitenciário), dentro da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário). Terá como função detectar as ligações dos detentos e levantar informações sobre facções quadrilhas ou bandos que pode interagir dentro dos presídios, além de organizar um banco de dados de foragidos, conforme decreto publicado no Diário Oficial do Estado.A GISP será composta por sete instâncias, entre Gerência de Inteligência Penitenciária; Divisão de Inteligência Penitenciária, Divisão Contra-Inteligência Penitenciária; Divisão de Operações de Inteligência Penitenciária; Núcleo de Pesquisa e Estatística; Núcleo de Produção de Conhecimentos e Núcleo de Logística de Dados. Cada um deles tem sua função designada, desde a detecção de movimentação anormal até a neutralização do processo para restabelecimento da ordem dentro das unidades prisionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.