MST invade 3 fazendas e ameaça com novas ações

Militantes do Movimento dos Sem-Terra (MST) invadiram três fazendas em São Paulo entre quarta-feira e a madrugada de ontem para pressionar o governo a acelerar a reforma agrária. Em carta aberta, o MST ameaça com novas ações. "Ou faz a reforma agrária, ou o bicho vai pegar."

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2011 | 00h00

A jornada de ocupações, iniciada na terça-feira com a invasão do escritório regional da Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp) por 300 integrantes, já mobilizou 1.250 famílias. A Fazenda Rancho Alegre, em Castilho, foi tomada por 400 famílias. Em Cafelândia, 200 sem-terra invadiram a Fazenda Bertazzoni. No município de Serrana, foi ocupada a Fazenda Martinópolis, mas, por ordem da Justiça, policiais militares já cumpriam a liminar de reintegração de posse.

Trégua. Na tentativa de conseguir uma trégua do MST, a nova secretária de Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado, Eloísa de Souza Arruda, decidiu convocar os líderes dos movimentos sociais de luta pela terra para uma reunião em São Paulo. No encontro, agendado para terça-feira, a secretária vai apresentar a política estadual de arrecadação de terras para novos assentamentos. O diretor executivo do Itesp, Marco Pilla, apresentará a atual situação fundiária do Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.