Muda perfil do tráfico de drogas em aeroportos, diz PF

A Polícia Federal registra uma mudança no perfil de traficantes internacionais de droga que agem em aeroportos brasileiros. De acordo com o delegado Gilberto José Pinheiro, vem aumentando o número de mulheres e de jovens que se prestam a levar drogas para o exterior, (na função chamada pela polícia de "mulas"), em troca de dinheiro. No Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos, duas mulheres foram presas com cerca de 13 quilos de cocaína nesta quarta-feira. No final da noite de anteontem, uma vendedora mineira foi detida com quase um quilo de cocaína em cápsulas, no estômago.Em duas operações, a Polícia Federal do Aeroporto Internacional de São Paulo apreendeu cerca de 13 quilos de cocaína, droga que seria levada para a Europa por duas mulheres. Na primeira apreensão, às 18h de ontem, foi presa, em flagrante, Silvaní Moreira, de 23 anos. Ela carregava 4,4 quilos de cocaína em meio à bagagem. A traficante embarcaria num vôo da empresa TAP, com destino a Portugal. Silvaní, que ainda estava amamentando o filho de dois meses no aeroporto, disse aos policiais que depois seguiria para a Alemanha e que receberia US$ 3 mil pelo transporte da droga. Ainda neste ano, ela já havia levado cocaína para Madri, na Espanha.Em outra apreensão em flagrante, Maria do Carmo Gama, de 24 anos, foi detida pelos agentes da PF, transportando 8,4 kg de cocaína, quando embarcaria, às 22h20, para Madri, num vôo da Varig. Ela não disse aos policiais a quem a droga seria entregue nem quanto reberia pelo serviço. ?Reflexo da situação econômica?"Há uma clara mudança no perfil dos traficantes. Um dos reflexos disso é a situação econômica do País. Mulheres, mães solteiras e jovens em geral, independentemente do sexo, se prestam a fazer este ´serviço´ para ganhar uma renda extra, um dinheiro fácil. Temos percebido isso em nosso trabalho na Polícia Federal", disse o delegado Gilberto José Pinheiro. As apreensões de ontem foram realizadas por agentes da Força Tarefa (Polícia e Receita Federal), criada na metade do ano passado. Até agora, a Força Tarefa no Aeroporto Internacional apreendeu cerca de 400 quilos de cocaína.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.