Mudanças na cúpula da polícia

Diretor do DHPP sai para assumir área de inteligência

MARCELO GODOY, O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2015 | 00h00

As principais mudanças na cúpula da Polícia Civil de São Paulo começaram pelos Departamentos de Inteligência Policial (Dipol) e pelo de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O novo delegado-geral, Maurício Lemos Freire, transferiu Domingos de Paulo Neto da direção do DHPP para o Dipol com o objetivo de aproveitar sua experiência na criação do Serviço de Informações e Análise (SIA). O SIA do DHPP reúne informações sobre crimes, criminosos e vítimas. O arquivo conta com fotos, características dos delitos, descrição dos suspeitos e modo de ação dos criminosos e seus comparsas. A idéia é fazer do SIA um ponto de partida para a criação de um grande centro de informações sobre o crime organizado e as quadrilhas que agem no Estado. Domingos substituirá um dos mais maiores especialistas em análise de informações da Polícia Civil, o delegado Massilon José Bernardes. Para o lugar de Domingos no DHPP, Freire e o secretário da Segurança Pública, Ronaldo Bretas Marzagão, desejavam Marco Antônio Desgualdo. Desgualdo fez toda a carreira no DHPP até se transformar em delegado-geral em 1998, cargo que ocupou até 2006. Em janeiro, ele havia sido transferido para a Academia de Polícia. Desgualdo, que perdeu o cargo na Academia, recusou, no entanto, o convite para retornar ao DHPP. Com isso, o departamento foi oferecido ao assistente de Domingos, o delegado Carlos José Paschoal de Toledo. Toledo trabalhou ao lado de Domingos durante toda a gestão deste no DHPP - de 2001 a 2007. Ele se tornou diretor de departamento sem ter chefiado antes divisão ou delegacia seccional. Sua nomeação foi a grande surpresa na mudança da cúpula e significa o desejo da administração de dar continuidade ao trabalho de Domingos no DHPP, que, além do SIA, criou um plano de combate a homicídios, cujo objetivo eram aumentar a quantidade de casos esclarecidos e de prisões de autores. DEMACRO O novo delegado-geral escolheu para a Academia o delegado Tabajara Novazzi Pinto. Freire mudou ainda a diretoria do Departamento de Polícia da Macro São Paulo (Demacro) para o qual foi nomeado Alexandre Sayão. Para a chefia da polícia da região de Campinas foi nomeado Kleber Antônio Torquato Atale e, para a região de Piracicaba, o delegado José Rolim Neto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.