Ernesto Rodrigues/Estadão
Ernesto Rodrigues/Estadão

Mulher de João de Deus pode ser indiciada como coautora de crimes

Investigações demonstram que há indícios que ela tinha conhecimento das armas e dinheiro, diz delegado

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

26 de dezembro de 2018 | 22h42

O delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, André Fernandes de Almeida, afirmou que Ana Keyla Teixeira Lourenço, 40, mulher de João Teixeira de Faria, o médium João de Deus, poderá ser indiciada como coautora dos crimes de posse ilegal de arma de fogo e lavagem de dinheiro.

Ana Keyla esteve nesta quarta-feira, 26, na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), em Goiânia. Segundo o delegado, em suas declarações, além de negar que o marido cometeu algum tipo de abuso sexual, Ana Keyla disse que desconhece a posse de armas de fogo e que raramente João de Deus repassava alguma informação sobre o dinheiro que recebia dos fiéis.

"Nas declarações, ela apresenta esse 'desconhecimento'. Ela foi bem instruída pelos advogados de defesa. Mas as investigações demonstram que há indícios de que ela (Ana Keyla) tinha conhecimento das armas e do dinheiro. É difícil uma pessoa não ver uma arma que está em uma gaveta de roupas íntimas', disse Almeida. Procurada, a defesa do médium não se pronunciou.

Na semana passada, a Polícia Civil de Goiás encontrou, a partir de mandados de busca e apreensão, aproximadamente R$ 1,6 milhão em dinheiro vivo na residência do médium. Também foram encontradas cinco armas, espalhadas por gavetas e outros espaços, sendo uma delas com a numeração raspada e pedras que supostamente podem ser preciosas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.