Mulher de piloto que matou a filha recebe alta em Goiás

Familiares já teriam contado sobre as mortes à Érica, que deixou o local abalada, segundo diretor do hospital

Solange Spigliatti, estadao.com.br

13 de março de 2009 | 09h54

Érica Correia dos Santos, mulher do piloto do avião que atirou um monomotor em um estacionamento e matou a filha do casal, teve alta na manhã desta sexta-feira, 13. Ela estava internada desde a tarde da quinta-feira, 12, no Hospital de Urgência de Goiânia (Hugo), em observação. Aparentemente, Érica já deve saber da morte da filha e do marido, segundo informações do diretor do hospital, que contou ao estadao.com.br que ela deixou o local muito abalada.

 

Veja também:

mais imagens Galeria com imagens do caso

lista Pai que pegou avião e morreu com a filha teve 'semana de fúria'

som Mulher que testemunhou a queda do avião conta o que aconteceu

video Momentos de terror: homem faz manobras com o avião

linkSequestrador teria prisão pedida hoje por estupro

linkHomem rouba avião e cai sobre shopping em Goiânia

 

Foto: Cristiano Borges/Jornal O Popular/AE 

 

A vítima teve escoriações leves e seu estado de saúde é bom, mas apresentou sinais de depressão ao sair do local, por volta das 9h15 desta sexta, segundo o diretor geral do hospital, Salustiano Gabriel Neto. De acordo com o diretor, pelo estado emocional da paciente ao sair do hospital, a família já deve ter informado sobre a morte da filha e do marido. No entanto, nenhum médico informou à paciente sobre as mortes.

 

 

 

Érica ficou ferida na cabeça, após seu marido, Kleber Barbosa da Silva, de 31 anos, atacá-la com um extintor de incêndio e a jogá-la do carro em movimento. O casal havia brigado e, após a alta de Érica, a polícia pretende investigar as causas da briga e o que teria levado Kleber a roubar o monomotor e causar o acidente. Ele teria a prisão preventiva decretada na quinta, sob acusação de estuprar uma adolescente.

Tudo o que sabemos sobre:
Goiâniaacidente aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.