Mulher de Tim Lopes divulga nota; Benedita da Silva lamenta

"Que este sacrifício não tenha sido emvão", disse a mulher do repórter Tim Lopes, Alessandra, emmensagem escrita a mão, divulgada hoje para a imprensa, depoisda confirmação, pela polícia, da morte de seu marido."Que todoscontinuem rezando pelo Tim, porque ele continua vivo dentro denós. Ele está me dando essa força, essa serenidade. O momentonão é de revolta", segundo Alessandra. Na nota, ela pede que "todos continuem nesta correntede positividade, porque onde ele estiver estará recebendo onosso carinho e essa luz". "O Tim, até então, estava aqui nosajudando, mas Deus está agora precisando dele ao seu lado paraajudar o mundo todo." A diretoria da Associação Nacional de Jornais (ANJ)divulgou nota de pesar e indignação pela morte do repórter TimLopes, da TV Globo, em que classifica a atuação do crimeorganizado nas grandes cidades como "epidemia sem controle"."Tim Lopes morreu quando investigava, como é dever de cadajornalista, uma atividade criminosa insuportável. A sua mortenegou à sociedade a informação desse crime, assim comoprejudicou - e esperamos que apenas tenha adiado - suaeliminação", diz a nota. "O jornalismo investigativo não éprivilégio e sim dever da imprensa. Os bandidos de Vila Cruzeirosabiam perfeitamente que era de seu interesse esconder os fatos.A ANJ, em nome de todos os jornais, declara que a tragédia nãonos deterá. É o que fazemos, em homenagem ao companheirotrucidado, e a todos os jornalistas do país e como reiteração deum compromisso que é a nossa própria razão de existir. Temos aesperança - mais, temos a certeza - de que Tim não morreu semconseqüência. É o momento de o Estado e os cidadãos afirmaremsua esperança de que a guerra contra o crime organizado por maisdura que seja está longe de ser perdida e darem provasinequívocas de sua certeza. E agirem." O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ),Octavio Gomes, disse hoje considerar o repórter "um mártir dasociedade, porque foi assassinado quando tentava defendê-la docrime organizado, com o poder de suas denúncias". "Ele é maisuma vítima de sucessivos governos que se preocupam mais em fazerpolítica com a violência do que colocar em prática uma políticaséria contra a violência", disse Gomes. "Quantas pessoascomuns ainda terão que morrer para fazer com que os governosenfrentem os traficantes e outros bandidos com rigor?",questionou. Fracasso - A governadora do RJ Benedita da Silva (PT)disse lamentar a morte do jornalista Tim Lopes e afirmou que oprincipal objetivo da polícia hoje é prender o traficante EliasPereira da Silva, o Elias Maluco, apontado como principalresponsável pelo crime. "Não podemos estabelecer prazos, masnossa polícia está incansável no combate à violência, não vamosdar trégua", disse Benedita. "Lamentamos profundamente estecrime cruel e bárbaro, mas temos que encarar a situação daviolência na cidade do Rio como a situação da violência noBrasil como um todo", declarou. O senador Arthur da Távola (PSDB-RJ) criticou hoje apolítica de Segurança Pública do governo fluminense. "O casoTim Lopes mostra o fracasso do governo Anthony Garotinho (PSB) ede Benedita da Silva. Agora, não são os responsáveis por toda aestrutura sedimentadas ao longo de anos. Eles fracassaram poroutras razões, porque dizem que vão resolver e não resolvem",afirmou o senador, que é jornalista e foi colega de Tim Lopes nojornal Ultima Hora. Segundo ele, Benedita terá que tomar"providências imediatas" contra o aumento da criminalidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.