Mulher de Zymler já tinha cargo no Senado

Antes de ser nomeada para a liderança do PR, Lenir Zymler, mulher do presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Benjamin Zymler, já ocupava cargo no Senado havia oito anos. Secretária parlamentar do gabinete do ex-senador Leomar Quintanilha (PMDB-TO), ela teve a exoneração publicada 15 dias antes da nomeação para a liderança do partido do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento.

Marta Salomon, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2011 | 00h00

Ontem, a liderança do PR confirmou ter recebido pedido para anular a nomeação, conforme combinado pelo presidente do TCU com a mulher após ser questionado pelo Estado sobre o ato, publicado no Diário Oficial da União. Lenir Zymler teria salário de mais de R$ 8 mil mensais. O presidente do tribunal disse que a mulher "não tinha interesse" em assumir o cargo.

O senador Vicentinho Alves (PR-TO) assumiu a responsabilidade pela indicação. "Eu não conhecia pessoalmente nem o presidente do TCU nem a mulher. Soube que era uma senhora competente", justificou.

Antes, o líder do partido, Magno Malta (PR-ES), disse que não partira dele a indicação. Na véspera, o ministro Alfredo Nascimento não quis falar sobre o caso. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) é recordista em número de obras com indícios de irregularidades graves no TCU.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.