Mulher é achada morta em casa com 12 facadas

As impressões digitais encontradas em duas xícaras pelos peritos do Instituto de Criminalística poderão levar a polícia de São Paulo a identificar o autor ou os autores do assassinato de Rosana Raimundo Pierre, de 53 anos. Ela foi encontrada morta pelo filho e pelo ex-marido na quinta-feira, num apartamento na zona oeste da capital. O corpo estava sobre a cama. Tinha os olhos vedados, as mãos e as pernas amarradas, o rosto coberto pelo travesseiro e 12 perfurações de faca.O analista de sistema Antonio Pierre Júnior, de 25 anos, filho de Rosana, chegou do trabalho e encontrou o apartamento trancado. Com a demora, telefonou para o pai, o empresário Antonio Pierre, de 52 anos, que tinha cópia da chave do apartamento. Pai e filho encontraram a porta do quarto de Rosana trancada. Com a chave do quarto da vizinha, Pierre Júnior abriu a porta do quarto da mãe.No apartamento, não havia sinais de arrombamento. Os policiais acreditam que Rosana conhecia o assassino ou os assassinos. Uma das xícaras de café estava na cozinha. A outra, na sala. Pierre Júnior percebeu a falta de dinheiro, DVD, videocassete, videogame e telefone sem fio. Os vizinhos disseram não ter ouvido gritos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.