Mulher é arrastada por assaltante em Campinas

Uma secretária de 26 anos foi arrastada por aproximadamente quatro metros durante assalto no centro de Campinas, na noite de terça-feira, 27. Após ficar em observação até a madrugada de quarta-feira, 28, no Hospital Mário Gatti, foi liberada pelos médicos. Nesta quinta, a moça ainda tinha machucados e hematomas nos braços, mas passava bem. Moradora da cidade vizinha Hortolândia, a secretária que pediu para não ser identificada estava na Avenida Moraes Sales, uma das mais movimentadas da cidade, quando foi abordada por um rapaz, em uma motocicleta. "Ele puxou a minha bolsa e quando viu que eu não soltei, andou com a moto. Eu caí no chão e ele me arrastou um tanto. As pessoas começaram a gritar, eu também, e ele fugiu sem levar nada", contou a moça. O delegado assistente do 1º Distrito Policial de Campinas, José Eduardo Cury, vai ouvir a vítima na manhã desta sexta-feira, 30. Cury só soube que a mulher tinha sido arrastada após falar com a secretária, na tarde de quinta. No Boletim de Ocorrência consta que a vítima foi derrubada pelo suposto assaltante. O caso foi registrado pela Polícia Militar. A ocorrência em Campinas lembrou o caso do garoto João Hélio Fernandes, de 6 anos, que morreu em 7 de fevereiro, após ser arrastado por sete quilômetros preso ao cinto de segurança do carro de sua mãe, após assalto no Rio de Janeiro. A barbárie chocou o País, e em torno dela ressurgiu o debate sobre violência, criminalidade e maioridade penal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.