Mulher é assassinada com 11 facadas pelo companheiro

Sílvia Maria do Vale, de 40 anos, foi morta na madrugada de hoje, com 11 facadas nas costas, pelo companheiro, Cláudio Simões de Barros, de 39 anos. O crime aconteceu na casa do casal, na Rua Maria Rafael da Silva 93, no Jardim Trianon, em Taboão da Serra, Grande São Paulo. Ao ser preso, depois de uma tentativa de linchamento, Barris alegou que Sílvia tinha um amante e que, durante uma discussão, hoje, ela teria afirmado que, sexualmente, o outro era melhor que ele. Apesar de esfaquear Sílvia, Barros foi ao Pronto-Socorro Antena, para onde ela foi socorrida, com o objetivo de obter informações sobre o estado de saúde da companheira. Ao verem-no ali, parentes, amigos e vizinhos de Sílvia, revoltados, espancaram-no, tentando executá-lo sumariamente. Policiais militares chegaram a tempo de impedir que o agredissem com pancadas até a morte. Depois de medicado, Barros foi encaminhado à Delegacia de Taboão da Serra, onde confessou o assassinato e disse há dois anos sabia que Sílvia tinha outro relacionamento. Mesmo assim, continuou convivendo com ela, até hoje, quando discutiram por causa de uma conta de luz cujo pagamento estava atrasado três meses. Eles trocaram de ofensas e acusações. Sílvia teria afirmado que o homem com quem se relacionava era um amante muito melhor. "Foi aí que perdi a cabeça", afirmou Barros, dizendo-se arrependido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.