Mulher é baleada em assalto no trânsito

A dona de casa Sílvia Vieira, de 41 anos, levou um tiro na cabeça, que entrou na nuca e saiu pela testa, durante assalto no trânsito, na Ponte São João, em Jundiaí.A mulher buscava os filhos em um shopping, com o seu Marea, quando foi atacada por três adolescentes em um cruzamento.A arma foi abandonada na região, os menores fugiram a pé e a mulher está em estado gravíssimo.MigraçãoO presidente do Conselho de Segurança de Jundiaí, Alexandre Barros Castro, acredita que "a violência de Campinas pode estar migrando para o município".O delegado Seccional, Paulo Bicudo, diz que o caso de Sílvia é isolado. Porém, concorda com a possibilidade de migração, "quando há combate em determinada cidade".Desde setembro ataques a mulheres no trânsito se tornaram comuns em Jundiaí. A dona de casa Rosângela Gomes, de 34, foi uma das vítimas. Dois homens levaram-na em sua Ranger com dois filhos para Campinas.Ela saiu viva porque não era o modelo de veículo que havia sido "encomendado". Em novembro, no mesmo local onde ela foi atacada, na rua do Retiro, o gerente José Correira, de 57, foi morto em assalto, ao parar no semáforo.Já a caixa do Habbib´s, Ana Cláudia Occon, de 22, morreu em roubo do carro de seu namorado, na Vila Esperança.SeqüestroSegundo a Polícia Civil, em 2001 foram furtados 1.634 veículos e roubados 576 à mão armada, com três latrocínios.A região também passou a registrar seqüestros, fato inédito. Em setembro, foi solto depois de 10 dias em cativeiro, em São Paulo, João Paulo Soldera, de 21, do Frango Tonho, de Louveira.Em novembro, a filha de um vereador de Campo Limpo Paulista, Ana Paula Camassa Lima, de 19, foi deixada em Campinas.Houve ainda o caso da empresária Nilza Alves Silva, de 38, dona da fábrica República dos Lobos, abandonada na Via Anhangüera, na pista sentido Campinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.