Mulher e feto morrem em tiroteio entre PMs e traficantes

Um tiroteio entre policiais militares e supostos traficantes da favela de Manguinhos, na zona norte do Rio, matou uma mulher e um feto, na noite de terça-feira. Marcele Thomaz, de 24 anos, e Anastácia da Silva, de 16 anos, grávida de oito meses, foram atingidas dentro de casa, quando tentavam evitar os tiros. Um policial também ficou ferido. Vinte PMs envolvidos na operação foram ouvidos na delegacia sobre o caso.Anastácia e Marcele, que era sua tia, foram atingidas no abdôme. Anastácia está internada no Hospital Geral de Bonsucesso e seu estado é grave. Ela foi operada, mas o bebê não resistiu. O terceiro sargento Antônio Francisco de Souza, de 51 anos, que comandava a ação, foi atingido por tiros na cabeça e no pé. Ele está internado.O tiroteio, que começou por volta das 19 horas e durou meia hora, causou pânico e revolta entre amigos e parentes das duas mulheres. Muitos acusaram os policiais de atirar a esmo na favela. Uma vizinha de Marcele disse que, antes de serem atingidas, as duas foram xingadas pelos PMs. Na noite de terça-feira, moradores da comunidade promoveram protesto contra a violência policial na Avenida dos Democráticos.A polícia informou que o confronto teve início quando integrantes da quadrilha do traficante Márcio da Silva Matos, o Marcinho Muleta, que comanda o comércio de drogas em Manguinhos, feriram o sargento. Hoje nem o comandante-geral da PM, coronel Wilton Soares Ribeiro, nem o secretário de Segurança Pública, coronel Josias Quintal, foram encontrados para comentar o caso. Vinte policiais do 22º Batalhão da PM (Benfica) prestaram depoimento e tiveram suas armas apreendidas para exames de balística.Irmã de Marcele, a dona de casa Mariléa da Silva acompanhou a troca de tiros. "Corri para colocar as crianças para dentro de casa e, de repente, vi que as duas haviam sido baleadas. Não é possível que isso tenha acontecido. Eles botam tanta polícia na rua para depois matar gente inocente", disse Mariléa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.