Mulher é presa após dar golpes em clientes da Vivo

A polícia prendeu uma mulher que usava nomes de clientes da empresa de telefonia celular Vivo para aplicar golpes. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a prisão aconteceu na região central de São Paulo, nesta quinta-feira,14,após denúncia de um dos clientes prejudicados.Segundo a SSP, a mulher, identificada apenas como Andresa, trabalhava em uma empresa que prestava serviços de telemarketing para a Vivo e com uma senha, fazia pedidos de aparelhos celulares - de acordo com os bônus de fidelidade - em nome de clientes que tinham esse direito. Ela alterava os endereços desses clientes - colocava o dela e assim, recebia os aparelhos em casa. Depois que os aparelhos chegavam, ela verificava em nome de quais clientes estavam as peças e alterava, de novo, os respectivos endereços, colocando os verdadeiros - das casas deles. Assim, ela usava ou comercializava os aparelhos e a conta ia para a casa desses clientes. Um dos clientes denunciou o caso à polícia, que foi até o prédio de Andresa, no centro da capital. Quando uma dessas encomendas chegou, a polícia interceptou e percebeu que ela colocava o nome da colega de apartamento como destinatária. A polícia ainda investiga se essa colega é cúmplice do crime.Ao receber a encomenda, Andresa foi presa, acusada de estelionato. A polícia subiu ao apartamento e apreendeu seis celulares, acessórios e notas fiscais em nome de diversas pessoas, provavelmente, as vítimas. Ela confessou a prática criminosa e disse que trabalhava como operadora de telemarketing na empresa Mobitel, que presta serviços para a Vivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.