Mulher é presa por matar filha com leite com cocaína

Uma mulher de 21 anos foi presa em flagrante na cidade de Taubaté, no Vale do Paraíba, acusada de matar a própria filha com uma mamadeira de leite misturado com cocaína.A criança, de 1 ano e três meses, chegou ao Pronto Socorro Municipal levada pela própria mãe, às 20 horas de sábado.De acordo com diretor municipal de saúde, Pedro Henrique Silveira, a menina chegou ao Pronto Socorro com vômito e convulsões. "Ela teve três paradas cardíacas e uma respiratória", disse Silveira.Os médicos que atenderam a criança notaram, durante o tratamento, a presença do entorpecente nas vias orais do bebê. Eles tentaram reanimar a menina, que morreu neste domingo, por volta das 9 horas.Os profissionais avisaram o fato à Polícia Civil que prendeu a mulher em seguida. Segundo Silveira, a criança havia apresentado o mesmo quadro em duas outras internações no Hospital Universitário de Taubaté. A mãe sempre dizia que a criança era muito doente, e por este motivo precisava ser internada sempre. A polícia fez exames na mamadeira e comprovou que havia cocaína misturada. A mãe, até agora tem o nome mantido em sigilo, vai responder por homicídio qualificado. A avó materna da criança confirmou que seus três filhos usam a droga. Na delegacia, ela não sabia explicar o que teria acontecido com a neta. Ela e outras três testemunhas foram ouvidas no final da tarde. EstuproA mãe da criança é a mesma mulher que há 15 dias acusou um estudante do 5º ano de medicina da Universidade de Taubaté de estuprá-la dentro do Hospital Universitário da cidade. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil e um exame de DNA pode comprovar a autoria do crime. O suposto acusado teria se oferecido para fazer o exame e negou ter tido qualquer relacionamento com a mulher. O estupro teria ocorrido no dia 8 de outubro quando a mulher acompanhava a filha no hospital.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.