Mulher é salva de linchamento pela polícia

Cinco pessoas da mesma família e três vizinhas foram atropeladas na saída do sambódromo, depois do desfile do Grupo de Acesso B, nesta terça-feira à noite. Entre as vítimas estavam uma mulher grávida e uma criança de 6 anos, que teve parte da perna direita amputada. Pessoas que assistiram ao acidente depredaram o Fiesta azul marinho (placa LCW 1392) e tentaram linchar a motorista, a representante de vendas Maria Cláudia da Silva, de 31 anos. Ela foi salva pela polícia.O atropelamento ocorreu às 22 horas. Celina Venâncio Benvindo, de 79 anos, as filhas Luzia, de 58, Lenice, de 44, grávida de quatro meses, e Lídia, de 43, o neto Alessandro Machado, de 15, e três vizinhas Mariza da Silva, Lúcia da Silva e Juliana da Silva, de 6 anos, estavam sentados junto ao meio-fio.O Fiesta dirigido por Maria Cláudia seguia em alta velocidade, segundo testemunhas. Ela teria perdido o controle do carro e atingido as pessoas na calçada. ?Ela veio numa velocidade só. Se não fossem as crianças, ela teria vindo parar na minha barraca?, disse a ambulante Elaine de Oliveira.Pessoas que assistiram ao atropelamento quebraram os vidros e lanternas do Fiesta de Maria Cláudia. Quando a vendedora saiu do carro, a multidão gritava para que ela fosse morta. Policiais militares impediram o linchamento. Maria Cláudia negou que estivesse em alta velocidade e disse que perdeu a direção do carro ao desviar de um garoto que teria atravessado a rua de repente.Ela foi levada ao Instituto Médico Legal, onde foi submetida a um exame toxicológico. Não havia vestígios de álcool no sangue da vendedora. Ela foi indiciada por lesão corporal. ?Para salvar a vida de um garoto, joguei o carro em cima de milhares de pessoas. Eu estou muito mal com isso?, disse.Alessandro, de 15 anos, sofreu fratura exposta no braço direito, e Juliana, de 6 anos, teve parte da perna direita amputada. Eles estão internados no Hospital Souza Aguiar. As outras vítimas estão internadas no Hospital Miguel Couto. Lenice, que está grávida, ainda corre risco de vida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.