Mulher e sogro de PM assassino estão fora de risco

Joaquim José Ribeiro Amorim, de 52 anos, e a filha, Maria Aparecida Amorim, de 22, mulher do soldado Marcelo Gomes da Silva, de 27, continuam internados em estado grave no Hospital-Geral de Pedreira, na zona sul de São Paulo. No sábado, além de atirar na mulher e no sogro, Silva matou a sogra e outras três pessoas antes de morrer, dentro de casa, na zona sul.A polícia ainda não sabe se ele se suicidou ou se foi atingido durante troca de tiros com policiais. Ele morreu com um tiro no pescoço e outro na cabeça.De acordo com a assessoria da Secretaria Estadual da Saúde, apesar do estado delicado, Maria Aparecida e o pai não correm risco de morte. "Ela está bem e conversou comigo durante a visita", contou a prima, Viviane Amorim, de 22 anos.Segundo ela, Maria Aparecida lembrou de tudo o que aconteceu e disse querer sair o mais rápido possível do hospital para ver os filhos. Por ordens médicas, ela ainda não sabe da morte da mãe, a dona de casa Analgisa Veiga da Silva, de 48 anos.EnterroDepois de atingir as vítimas, Silva foi até a residência dele. No caminho, atirou em dois carros de polícia. Dentro de casa, trocou tiros com policiais que cercavam a área e atingiu o braço do tenente Giuliano Antônio Silva, co-piloto do helicóptero da PM.Silva foi enterrado neste domingo, por volta das 14h00, no Cemitério Vale da Paz, em Diadema, no Grande ABC (SP). Analgisa também foi enterrada nesta tarde, no Cemitério São Luiz.Ela estava dentro de casa com a filha e o marido, quando Silva entrou e começou a atirar. Após os disparos, ele saiu da residência dos sogros carregando os filhos, uma menina de 3 anos e um menino de 11 meses.AmigoAo ver o estado do PM, o amigo Daniel Lopes Pereira, de 23 anos, tentou contê-lo. Silva, então, atirou em Pereira, que morreu. Ele foi enterrado na manhã deste domingo, no Cemitério Congonhas, zona sul.No mesmo local, foi sepultado José dos Santos Faria, de 46 anos, dono do Supermercado Pedreira, onde Silva fazia bicos de segurança.PM passou no mercado antes de ir para a casa dos sogros. No estabelecimento, o policial matou a tiros Faria e o gerente do local, Laércio Fachini, de 46 anos. O enterro dele foi no Cemitério da Vila Alpina, zona leste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.