Mulher é violentada, drogada e mantida refém em hotel no centro

A prisão de um traficante que vendia crack na Praça Júlio Mesquita, região central da cidade de São Paulo, na noite de terça-feira, levou policiais militares do 7º BPMM a localizar em um hotel, na mesma praça, um criminoso que mantinha em cárcere privado e sob espancamento uma mulher de 26 anos, desde o último sábado. A vítima apresentava ferimentos por todo o corpo e estava sob o efeito de entorpecentes que, segundo ela, o delinqüente a obrigou a fumar.A vítima, que reside em Cuiabá, no Mato Grosso, conta que veio a São Paulo, há cerca de dois meses, a convite de uma amiga que reside em um hotel na Rua Rego Freitas, na antiga "Boca do Luxo". Naquela oportunidade conheceu Marco Antonio Lima, com quem teve um breve namoro, e depois retornou a sua cidade natal. Na semana passada ele a convidou a retornar à capital paulista e enviou dinheiro para a passagem de ônibus. Ela embarcou sexta-feira e chegou no Sábado.Depois de se hospedarem no hotel da Praça Júlio Mesquita, segundo a garota, Marco Antonio mudou seu comportamento. Começou a usar droga e se tornou violento a ponto de obrigá-la a fumar também. Diz que, em conseqüência disso, se negou a mater relações sexuais com ele e que por isso, foi espancada e violentada várias vezes. Ela a manteve trancada no apartamento todas as vezes em que saiu para comprar mais crack. Foi numa das vezes em que lhe forneceu a droga que o traficante ficou sabendo do fato. Ao ser abordado pelos PMs o vendedor de crack imaginou que dando essa informação se veria livre da prisão. Mas, aço contrário, ambos foram presos e levados ao 3º DP - Campos Elísios, onde um foi autuado em flagrante por tráfico e o outro por cárcere privado e estupro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.