Mulher finge seqüestro para extorquir dinheiro

A cabeleireira Eliete Aparecida dos Santos, de 25 anos, foi presa na manhã de hoje em Caraguatatuba, litoral norte paulista, depois de forjar o próprio seqüestro, a fim de extorquir dinheiro do namorado. O suposto seqüestro teve início na semana passada, quando a cabeleireira desapareceu. No último sábado, o comerciante Nelson Sakamoto, que, segundo a polícia, mantinha relacionamento com a cabeleireira, começou a receber ligações com pedidos de resgate.Ele contou que estava muito preocupado e que entregaria o dinheiro hoje à tarde. "Foram mais de três ligações".Segundo a vítima, uma mulher exigia R$ 60 mil e afirmava que cortaria o corpo da cabeleireira em pedaços, caso o dinheiro não fosse entregue. Acreditando no seqüestro, o comerciante procurou a polícia. No domingo, a Divisão Anti-Seqüestro do Vale do Paraíba entrou no caso e, rastreando as ligações, descobriu o local do cativeiro.Na manhã de hoje, a cabeleireira foi encontrada dormindo em uma casa alugada no bairro Caputera, periferia de Caraguatatuba. Presa em flagrante, ela confessou o crime, dizendo que só tentou fingir o próprio seqüestro porque estava "precisando de dinheiro". Decepcionado, o comerciante contou que jamais desconfiou da cabeleireira, já que eles se conheciam há cinco anos. Eliete foi presa e encaminhada à cadeia pública de Ubatuba (SP), onde vai responder por extorsão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.