Mulher foi empurrada por marido em poço de elevador

Policiais de Sorocaba descobriram que não foi acidental a queda da doméstica Valdirene Ferreira, de 20 anos, no poço do elevador de um prédio comercial no centro da cidade, no dia 12 de abril. Segundo a polícia, Valdirene foi empurrada pelo marido, o pintor Aguinaldo de Jesus. A doméstica estava no segundo andar do prédio e caiu de uma altura de sete metros. O pintor, que trabalhava no edifício, contou que ela despencara ao abrir o compartimento do elevador, que não estava parado naquele andar. Valdirene, que estava grávida de cinco meses, sofreu aborto, teve traumatismo craniano e ficou cega de um olho.Desde o acidente ela permanece internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Conjunto Hospitalar de Sorocaba. O marido alegou que estava trabalhando no terceiro andar quando ocorreu o acidente. Ao procurar pela mulher, descobriu que ela tinha caído e pediu ajuda. O delegado do 5º Distrito Policial, Celso de Sousa Araújo, disse que as investigações confirmaram a versão de que Jesus empurrou Valdirene. Ele teve a prisão temporária decretada, ontem, pelo juiz Maurício Vallala.A polícia informou que o pintor já estive preso, em 1999, por tentar matar a ex-mulher. Também é acusado do estupro de uma criança. Ele deixou a cadeia em fevereiro deste ano para responder aos processos em liberdade. O pintor nega que tenha empurrado a mulher e atribui a acusação aos seus antecedentes criminais. Valdirene será ouvida pela polícia quando deixar a UTI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.