Mulher grávida de sete meses é espancada por adolescentes no MS

No mesmo dia, a mulher foi agredida pelo irmão de um dos adolescentes envolvidos no caso

Central de Notícias, estadão.com.br

31 Agosto 2011 | 13h16

SÃO PAULO - Seis adolescentes e três adultos são suspeitos de espancar uma jovem grávida de sete meses em Ribas do Rio Pardo, no Mato Grosso do Sul, na madrugada de domingo, 28.

A gestante, que tem 20 anos de idade, foi agredida perto de um clube no centro da cidade. Ela foi até o local para vender um aparelho celular. Segundo a Polícia Civil, o marido dela trabalha em uma carvoaria e está fora da região há meses. A mulher iria vender o aparelho para conseguir pagar algumas contas.

Os suspeitos roubaram o aparelho celular da mulher e, quando ela disse que chamaria a polícia, o grupo passou a agredi-la. Ela foi jogada no chão e levou chutes na barriga e tapas no rosto. No momento do espancamento, a vítima gritava estar grávida na tentativa de interromper a agressão. Segundo o titular da Delegacia de Ribas, Reginaldo Salomão, os oito suspeitos ignoraram os apelos da mulher e continuaram a bater nela.

Testemunhas acionaram a Polícia Militar, que foi até o local e deteve os suspeitos. Todos foram levados para a delegacia da cidade. A mulher foi encaminhada para um hospital da região. Apesar das agressões, ela e o bebê passam bem. Depois do atendimento médico, a jovem prestou depoimento.

No mesmo dia, a mulher foi agredida pelo irmão de um dos adolescentes envolvidos no caso. Ela foi abordada na porta de casa. O suspeito, que é maior de idade, exigiu que a grávida retirasse a queixa contra o grupo. Testemunhas viram a cena e chamaram a polícia. Esse agressor não foi localizado no domingo, mas ele se apresentou na delegacia. Ele foi indiciado por coação no curso do processo e vai responder em liberdade.

Salomão disse que os seis adolescentes foram soltos e os dois adultos foram indiciados por roubo impróprio, quando ocorre a subtração de um bem seguida de agressão. Todos vão responder pelo crime em liberdade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.